sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

A vida é breve

Fui convidada a escrever o texto do boletim mensal da igreja que frequento. Me senti honrada com o convite e aceitei imediatamente. No momento de elaborar o texto pensei muito na vida e na mensagem que gostaria de passar. Queria levar o leitor à reflexão sobre a vida, e principalmente ao reconhecimento da Fonte de vida abundante e eterna, considerando que estamos nos preparando para celebrar o Natal, o nascimento de Cristo.
Pois bem, redigi o texto a seguir.

Viver a vida
A vida é curta.  Sobre a brevidade da vida, a Bíblia, em Tiago 4.14, descreve que ela é um vapor que aparece por um pouco e logo se desvanece. A Palavra de Deus nos ensina a contarmos os nossos dias, pois só assim alcançaremos um coração sábio (Salmos 90.12). Contar os dias é aproveitar cada momento vivido, e isso só é possível quando vivemos no padrão de Deus, tendo a mente controlada pelo Espírito.
Muitas vezes só consideramos a brevidade da vida diante da morte. No entanto, a Escritura nos adverte a lembrar do Criador (Eclesiastes 12.1).   
Com a chegada de mais um fim de ano, refletimos nos acontecimentos do ano que está terminando e fazemos planos para o ano que se aproxima. Não espere o ano acabar para fazer um balanço sobre sua vida cristã, posicione-se hoje, como servo de Cristo, que sabe viver os dias.
Nas festas de final de ano nos reunimos com amigos e familiares. Aproveite estes encontros para compartilhar a verdadeira fonte de vida – Jesus. O mundo carece da esperança de salvação, a boa-nova deve ser vivenciada.

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Isaías 9.6).

Escrevi o texto acima no dia 21/11/16. Uma semana após escrever sobre a brevidade da vida me deparo com a tragédia aérea que vitimou tanta gente cheia de esperança (o time da Chapecoense). A vida para 71 passageiros foi passageira demais. Havia muito para viver, a espera (para muitos) por viver tudo que almejavam estava no ápice, e o desfecho foi desolador. A espera de um sonho se tornou para as famílias a espera pelo corpo, a espera por um beijo, a espera por uma abraço, a espera por um sorriso, a espera por uma conquista, a espera pelo retorno. E este retorno não acontecerá.
A morte, por si só, é trágica e, quando se trata da morte de jovens ativos fisicamente e cheios de planos, é mais que trágica, é dolorosa, é insana. No entanto, há esperança para os enlutados e para aqueles que viveram a esperança eterna da salvação. A morte não é o fim, pois acredito que a morte foi vencida por Jesus. Não sei os processos depois da morte (nunca morri), mas eu acredito que a vida, mesmo que breve, vale a pena, porque do outro lado, após a morte nos encontramos com o Criador da vida, o Doador de sonhos e o cuidador de nossa alma. Ele determina tudo, até mesmo a continuação do fôlego para 6 passageiros que renasceram.
Tudo isso eu escrevi só para ressaltar. A vida é breve, portanto viva! Viver de verdade verdadeira só com a Verdadeira Vida!!!

#forcachape #forçachape #Chapeco 

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Comédias da Espanha

Tenho Netflix e isso me possibilita escapar da TV aberta.
Em várias andanças para encontrar um filme que vale a pena assistir, me deparei com uma nova investida dos espanhóis, o cinema. E eles estão de parabéns!
Todos os filmes que assisti tem humor, uma pegada de não querer desgrudar o olhos da tela, só para não perder as cenas que, na minha opinião, são muito bem representadas pelos atores. São artistas desconhecidos, mas eles têm o mais importante, que é o talento.
A maioria dos filmes que assisti traz a "crise financeira" no enredo, e esse bom humor de criar novas oportunidades, valorizando o que é essencial me fez ser fã.
Até o momento assisti os filmes:

- Sin filtro
- Requisitos para ser una persona normal
- Desnorteados
- Tenemos que hablar

Vou assistir outros... pena que não são dublados, mas nem por isso é menos legal... o bom é que dá pra aprender novas palavras e hablar

#comediasestrangeiras #filmes #netflix

domingo, 18 de setembro de 2016

O que é problema?


Quinta-feira. Início da tarde. Para ser exata, dia 15 de setembro de 2016. Assistindo TV me deparo com uma notícia "o ator Domingos Montagner foi nadar no Rio São Francisco e desapareceu".

Nesta hora a cabeça para por um tempo (milésimo de segundo) e logo conclui "é mentira!", depois pensa "será que é verdade?", depois repensa "como assim?". Ao pesquisar a notícia, confirma-se a veracidade do fato. Que triste fato! Ele está desaparecido.

Na expectativa de resposta, o tempo torna-se vilão e mocinho ao mesmo tempo. Enquanto a resposta não vem, a emoção toma conta do ser e só pensa "vão achar ele vivo". Quando a confirmação da fatalidade é anunciada a razão volta a fazer parte do ser "é...seria difícil achar com vida depois de tanto tempo".

Está aí a definição de problema, que compartilho, usando as palavras do texto USE FILTRO SOLAR: "As encrencas de verdade da sua vida tendem a vir de coisas que nunca passaram pela sua cabeça preocupada e te pegam no ponto fraco às 4 da tarde de um terça-feira modorrenta".

Há um problema para a família que agora terá que conviver com a ausência de alguém que não disse "adeus". Há um problema para a mente que viu o amigo ir embora e não pôde fazer nada.

O problema, acredito eu, nunca será solucionado, será minimizado, com o tempo e com a vontade de dizer que o problema não é maior que a Vida.

Não era terça, era quinta. Não era um boato, era um fato. Agora, é uma tristeza.

#miesperanca #domingosmontagner

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

A espera e eu

Esperar é caminhar.
     Caminhar é se cansar.
            Cansar é pensar em desistir.
                     Desistir é para os fracos.
                                   Fraca, eu não sou.
                                               Eu sou forte.
                                                       Sendo forte.
                                                              Vou prosseguir.

terça-feira, 19 de julho de 2016

ILEGAL

"Ilegal" é o nome do documentário que assisti e chorei. O documentário retrata a luta de mães/pais que precisam do canabidiol (maconha) para amenizar o sofrimento de seus filhos/familiares.
Eu me comovi ao assistir porque eu me coloquei no lugar dessas mães. Eu me entristeci por ver o jogo de interesses políticos e egoístas que rola e burocratiza qualquer medida, mesmo que seja para alterar um parágrafo sobre a liberalização para uso medicinal.
No momento de confronto de ideologias me deparo com a constante necessidade de avaliar todo o contexto e colocar em prática o mandamento de Jesus, que é amar a Deus acima de todas as coisas, e ao próximo como a gente se ama. Eu quero viver e eu vou fazer valer a vida do meu próximo também. Se eu agir com indiferença eu assumo minha falta de amor.
Durante o documentário fica nítido a sensação de impotência. Quando a sensação de impotência nos assola a vontade de viver se esvai, porque a luta pela vida confirma a impotência, e a partir disso não temos apenas a "sensação" de impotência, mas a certeza do quanto somos impotentes.
Em um depoimento uma mãe fala "tudo que foi modificado um dia foi enfrentado". Me apego a esse depoimento para enfrentar a vida. Eu quero que o meu amanhã seja melhor, então eu tenho que enfrentar o meu hoje. Mesmo sabendo que o amanhã a Deus pertence, eu preciso entregar o meu hoje nas mãos dele para eu conseguir enfrentar os dissabores, as impotências... só assim a vida é vivida, porque ainda há um fio de esperança para um amanhã melhor.
O documentário é dedicado aos que lutam por seus direitos.
O documentário não é uma apologia ao uso deliberado da maconha.

Há um site mais explicativo sobre o assunto http://apepi.org/

domingo, 17 de julho de 2016

Entre promessas...

Ando prometendo muita coisa para mim... Volta e meia prometo para mim mesma.
Ultimamente ando prometendo:

  • Ler mais
  • Terminar meus crochês
  • Fazer mais artesanato
  • Aprender novas receitas
  • Beber mais água
  • Fazer exercício físico
  • Escrever mais (manter o blog atualizado)
  • Etc e tal
Em alguns itens tenho progredido... em outros (melhor nem comentar hehe). 
Vou começar a escrever mais e aqui estou!!!
O motivo de voltar com todo gás é que amanhã faz 1 ano que recebi um comentário no blog. Tal comentário me motivou... então bora escrever!!! (até hoje não sei exatamente o por que de colocar 3 pontos de exclamação...pra mim é automático...quando percebo que coloquei só um, eu volto e coloco mais dois... quando coloco quatro, eu apago e deixo "apenas" 3... será T.O.C?!?!?!) 
Tenho tanta coisa para escrever, mas por hoje será minha lista de promessas e minha inclinação involuntária pelos 3 pontos de exclamação.

sábado, 5 de março de 2016

REPREENDER E CORRIGIR...

Li na Bíblia a instrução de Paulo a Timóteo. "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça" (2Timóteo 3:16)
Percebi que repreender é diferente de corrigir, no entanto uma ação está ligada à outra. 
De acordo com o dicionário Michaelis: 
Repreender 1.Censurar; corrigir 2.Chamar a atenção de; advertir.
Corrigir 1.Emendar(-se), reformar(-se) 2.Melhorar, retificar 3.Reparar 4.Castigar, censurar, repreender.
Podemos considerar que repreender é chamar a atenção por aquilo que está errado e corrigir é apresentar meios para evitar um novo erro.
Há um exemplo na Bíblia, no livro de Efésios 4:28 "Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado".
Analisar tudo isso me fez pensar em minha postura em sala de aula.. preciso repreender e corrigir. Devo chamar a atenção do aluno e logo em seguida mostrar para ele como ele vai seguir sem errar novamente. Obedecer ou não será uma escolha dele. Todavia, como boa professora, devo ser paciente para repetir a repreensão e correção quantas vezes for necessário.